DEM e PSL selam fusão e aguardam homologação do TSE para novo partido, o União Brasil

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

06/10/2021

Integrantes do DEM e do PSL aprovaram a fusão das duas legendas na manhã desta quarta-feira, em convenções partidárias realizadas em conjunto, em Brasília. Como já divulgado, o novo partido criado da fusão se chamará União Brasil e terá o número 44 após a homologação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que deve demorar cerca de três meses.

Cotado para concorrer ao governo do Distrito Federal, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, do PSL, compareceu ao evento. O ministro do Trabalho e da Previdência, Onyx Lorenzoni, filiado ao DEM, votou contra a fusão dos partidos e reivindicou que o seu voto fosse registrado na ata da reunião.

Cotado para disputar a Presidência da República pelo PSD, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), aparece como membro da Executiva Nacional do União Brasil.

Conforme o Valor PRO havia adiantado, o presidente da nova legenda será o deputado federal Luciano Bivar (PE), atual presidente do PSL. O secretário-geral será o hoje presidente do DEM, Antônio Carlos Magalhães Neto, e o primeiro secretário, o líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB).

O União Brasil terá 12 vice-presidentes nacionais. O primeiro vice-presidente será Antonio Rueda, que exerce o mesmo cargo no PSL.

Outros futuros vice-presidentes são quadros de destaque do DEM, como o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (AP), o ex-senador José Agripino Maia, o ex-ministro José Mendonça Filho e o prefeito de Salvador, Bruno Reis, além do filho de Luciano Bivar, Cristiano Bivar, do PSL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *