Combustíveis, luz e carnes pesam na aceleração do IPCA em 12 meses

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

10/08/2021

O resultado acumulado em 12 meses do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou de 2,31% em julho de 2020 para 8,99% em julho de 2021, alcançando a maior taxa desde maio de 2016 (9,32%), segundo os dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

  • Leia também: Habitação e transportes representaram 83% da alta do IPCA em julho

As altas de combustíveis, energia elétrica e carnes nos últimos 12 meses foram os principais responsáveis, segundo o analista da pesquisa André Filipe Guedes Almeida, para a aceleração do resultado do IPCA no último ano.

“Ao longo dos últimos 12 meses, teve alta nos combustíveis e na energia elétrica, itens que pesam no orçamento das famílias. Gasolina é o item de maior peso. Além disso, teve alta forte das carnes. Todos esses itens contribuíram para a aceleração em 12 meses”, explica o analista.

De agosto de 2020 a julho de 2021, os preços de combustíveis subiram 41,30%, com alta de 39,65% de gasolina e de 57,27% de etanol. Já a energia elétrica avançou, em igual período, 20,09%.

No caso das carnes, a variação acumulada em 12 meses foi de 34,28%.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *