China se mantém como maior importadora de carne suína, mas Japão vai gerar maiores receitas

O país ainda não se recuperou da epidemia da Peste Suína Africana que dizimou seu rebanho, mas política para a Covid zero freará importações e consumo

30/05/2022

China se mantém como maior importadora de carne suína, mas Japão vai gerar maiores receitas China segue sendo maior importadora da proteína, mas perde em receitas para o Japão. (Foto: Divulgação)

Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) indicam que a China deve diminuir as importações de carne suína em 2022 e vai pagar menos pelo produto. O país ainda não se recuperou da Peste Suína Africana que praticamente dizimou o seu rebanho, que era o maior do mundo. 

O Notícias Agrícolas ressalta que a China ainda vai se manter como a maior importadora da carne suína do mundo, mas que o Japão vai pagar mais pela proteína e ultrapassar o gigante asiático em receitas. O assunto vai ser discutido em setembro, no simpósio do United Pork Americas, segundo Richard Herzfelder, consultor sênior da indústria internacional de carnes da Gira Consulting and Research.

Para Herzfelder, “no caso da China, pontos que devem atrapalhar as importações da carne suína são os casos de Covid-19 e as implicações econômicas que a doença pode trazer”. O país também não recuperou as vendas no mercado interno. Em 2022 ela deve importar cerca de 3,8 milhões de toneladas, contra os 4,2 de 2021. O país, no entanto, vai se manter como o maior comprador internacional.

 

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.