Calendário de vacinação contra febre aftosa tem alteração em 10 estados

Medida pretende equilibrar oferta de vacinas contra doença para adequar cronograma de produção da indústria.

01/04/2022

Calendário de vacinação contra febre aftosa tem alteração em 10 estados Brasil vai declarar seis estados livres da aftosa após novembro (Foto: Divulgação Agrodefesa)

Pecuaristas de 10 estados brasileiros terão de cumprir um novo calendário de vacinação contra febre aftosa em bovinos e bubalinos com idade até 24 meses, que começa a valer em maio. A determinação foi anunciada pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), após discussão com os serviços veterinários estaduais do Bloco IV do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa (PE-PNEFA). De acordo com o Mapa, esta inversão no calendário foi necessária para equacionar a demanda de vacinas contra febre aftosa com o cronograma previsto de produção da indústria e, por enquanto, a mudança é apenas para 2022.

A primeira etapa começará em maio para os estados da Bahia, do Espírito Santo (já utiliza essa estratégia), de Goiás, de Minas Gerais, do Mato Grosso do Sul, do Mato Grosso, do Rio de Janeiro, de Sergipe, de São Paulo, de Tocantins e Distrito Federal, totalizam aproximadamente 61,3 milhões de bovinos e bubalinos de zero a 24 meses que deverão ser imunizados.

Com a inversão do calendário, a segunda etapa será em novembro, para todo o rebanho.

O objetivo é garantir a oferta de vacinas nas etapas de 2022 para manter os índices vacinais satisfatórios e, assim, manter a imunidade do rebanho, evitando prejuízos à certificação de país livre com vacinação do Brasil.

Segundo diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes, a demanda de vacina para este ano já está acordada e programada com a indústria produtora, viabilizando a oferta oportuna para os estados envolvidos dentro dos meses previstos para vacinação, sem necessidade, a princípio, de prorrogação das etapas, como foi observado no ano de 2021.

Diante da preocupação dos produtores rurais com possível redução dos índices de prenhez no rebanho, devido ao manejo dos animais durante a vacinação, o diretor informa que “para a segunda etapa de vacinação em específico, a ser realizada em novembro e envolvendo todo o rebanho bovino e bubalino, os produtores poderão solicitar autorização aos serviços veterinários estaduais para realizar a vacinação de seus animais a partir de primeiro de outubro, ou postergar para dezembro, dependendo do planejamento reprodutivo utilizado no rebanho”.

A vacinação em áreas especiais, como a região do Pantanal e a Ilha do Bananal, permanece inalteradas, seguindo o calendário previsto inicialmente.

Da Redação (com informações do Mapa)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.