Cai IGP-M em setembro, índice base para reajuste de aluguel

Os números foram divulgados nesta quarta-feira pela FGV

29/09/2021

Cai IGP-M em setembro, índice base para reajuste de aluguel IGP-M, que reajusta os alugueis, caiu e, setembro, mas acumula alta em 2021 (Foto: Agência Brasil)

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), base de cálculo para reajuste de aluguéis, caiu 0,66% em setembro, na comparação com o mês anterior. Mas a queda não diminui o tamanho da inflação desse setor nos primeiros meses deste ano. Chega a 16%. Se considerarmos os últimos 12 meses ele é de 24,86%. Bem acima dos 17,94% em um ano em setembro do ano passado.

Segundo nota de André Braz, coordenador dos Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV), “o minério de ferro continua influenciando o resultado do IGP-M. A queda de 21,74% registrada no preço desta commodity foi a principal contribuição para o resultado do índice. Sem o minério de ferro, o IGP-M teria registrado alta de 2,37% em agosto e de 1,21% em setembro”, afirmou.

Índice de Preços ao Consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve variação positiva de 1,19% em setembro, ante 0,75% em agosto. Seis das oito classes de despesa que compõem este índice, registraram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo habitação (1,05% para 2%). “Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 3,26% em agosto para 5,75% em setembro”, diz a FGV.

Também apresentaram aumento em suas taxas de variação os grupos educação, leitura e recreação (0,53% para 1,85%), transportes (0,76% para 1,31%), comunicação (-0,11% para 0,21%), Despesas diversas (0,19% para 0,28%) e vestuário (0,29% para 0,31%). Nestas classes de despesa, os destaques são passagem aérea (3,17% para 16,22%), gasolina (1,55% para 2,77%), combo de telefonia, internet e TV por assinatura (-0,26% para 0,42%), cigarros (-0,12% para 0,48%) e serviços do vestuário (0,12% para 0,78%).

Em contrapartida, os grupos alimentação (1,17% para 1,10%), saúde e cuidados pessoais (0,42% para 0,38%) registraram decréscimo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, destacam-se os seguintes itens: hortaliças e legumes (5,42% para 1,57%), artigos de higiene e cuidado pessoal (1,06% para 0,67%).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu 1,21% em setembro, após elevação de 0,66% em agosto.

Da Redação, com Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *