Brasil tem recorde de abates de frangos e suínos em 2021, mas tem queda no de bovinos

A informação é de pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

17/03/2022

Brasil tem recorde de abates de frangos e suínos em 2021, mas tem queda no de bovinos Santa Catarina é responsável por 1/4 das exportações de frango e aumentaram 51,7% nos embarques de suínos (Foto: Divulgação)

Em 2021 o abate de frangos e suínos bateu recordes, enquanto o de bovinos caiu 7,8%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado nesta quinta-feira (17), segundo o site CarneTec.

Foram abatidas 6,18 bilhões de cabeças de frango em 2021. O aumento registrado é de 2,8% na comparação aos abates realizados em 2020. Um recorde da Pesquisa Trimestral do Abate do IBGE.

Outro recorde foi quebrado pelo abate de suínos. Com 52,97 milhões de cabeças abatidas no ano passado, a alta foi de 7,3%. Também, na comparação com 2020.

Dois atores contribuíram para esses números serem alcançados. O aumento do consumo de frango e suínos nos mercados interno e externo e a alta do preço da carne bovina.

O analista da pesquisa do IBGE, Bernardo Viscardi, informou em nota que “o desempenho na exportação auxiliou a cadeia da carne suína, que enfrentou um cenário desafiador com o aumento dos custos de produção”.

A queda de 7,8%, com 27,54 milhões de cabeças no abate de bovinos, também tem dois motivos: a baixa disponibilidade de animais terminados e a suspensão das compras de carne bovina brasileira pela China, durante 3 meses no ano passado.

Viscardi ressalta que “no caso dos bovinos, permanece a retenção de animais, principalmente das fêmeas, para fins de procriação. A arroba está valorizada, em um ciclo de alta, fazendo com que o produtor evite o abate”.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.