Bolsonaro: Lamentamos todas as mortes ocorridas durante a pandemia

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

21/09/2021

Em discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que lamenta todas as mortes ocorridas durante a pandemia de covid-19, mas que medidas de isolamento e lockdown deixaram um legado na inflação, principalmente, no que diz respeito a alimentos.

Ele destacou que sempre defendeu o combate à pandemia, mas também a economia. Bolsonaro ressaltou ainda as medidas adotadas pelo governo como, por exemplo, o programa de auxílio emergencial que pagou US$ 800 para 65 milhões de brasileiros e o de manutenção do emprego e renda.

O presidente disse ainda que a estimativa de crescimento do país para esse ano é de 5% e que 90% da população adulta já recebeu a primeira dose da vacina. “Apoiamos a vacinação, contudo nos posicionamos contra o passaporte de vacinação”, afirmou. Bolsonaro disse ainda que até novembro todos os brasileiros que quiserem ser vacinados serão atendidos.

Ele ainda defendeu a autonomia dos médicos no uso de medicamentos contra a covid. O presidente chegou a dizer que foi um dos que fez tratamento inicial e que o governo respeita a relação entre o médico e o paciente. Bolsonaro disse não entender porque países e grande parte da mídia se colocaram contra o tratamento inicial. Sobre as decisões durante a pandemia declarou: “A história e a ciência saberão responsabilizar a todos”.

Bolsonaro destacou que o Brasil vive novos tempos na economia e um dos melhores desempenhos entre os emergentes, além de ser um dos melhores destinos de investimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *