Bolsas de NY fecham em alta; S&P 500 e Nasdaq renovam recordes

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

23/08/2021

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta segunda-feira (23), com novos recordes do S&P 500 e do Nasdaq.

O avanço desta segunda se deu em meio à divulgação de dados sobre a atividade econômica dos Estados Unidos e à expectativa em relação ao simpósio de Jackson Hole, evento organizado pelo Federal Reserve (Fed). Enquanto aguardam algum sinal do banco central americano, os investidores relegaram o temor da semana passada em relação aos riscos da covid-19 para um segundo plano e voltaram a olhar para as commodities, o que ajudou o setor de energia a avançar.

O Dow Jones encerrou em alta de 0,61%, a 35.335,71 pontos, o S&P 500 avançou 0,85%, a 4.479,53 pontos, e o Nasdaq subiu 1,55%, a 14.942,65 pontos.

O setor de energia, com alta de 3,74%, foi o que teve maior avanço dos 11 índices setoriais do S&P 500, puxado principalmente pela alta de mais de 5% do petróleo na sessão.

O Fed de Kansas City anunciou que seu evento anual em Jackson Hole, em Wyoming, será realizado virtualmente. O presidente do Fed, Jerome Powell, fará o seu discurso na sexta-feira (27), que será observado em busca de pistas sobre o cronograma para a eventual redução das compras de ativos pelo BC americano.

Dados econômicos

Hoje, os investidores observaram, ainda, a divulgação do índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto de agosto nos EUA. Segundo dados preliminares da IHS Markit, o PMI composto caiu a 55,4 pontos em agosto, de 59,9 em julho.

Já o índice de atividade nacional do Federal Reserve de Chicago subiu a 0,53 ponto em julho, de -0,01 da leitura do mês anterior. Uma leitura em zero indica que a economia do país está se expandindo na média histórica, e o avanço a uma leitura positiva indica um crescimento mais forte.

Destaques

Dos destaques do dia estão os papéis da Exxon Mobil e da Chevron, que avançaram 4,11% e 2,58%, respectivamente, puxados principalmente pela alta de mais de 5% dos contratos futuros do petróleo.

Outro ativo que avançou nesta segunda foi o da Boeing. Os papéis da empresa subiram 3,16% depois do anúncio de que a companhia pretende investir na Virgin Orbit – a lançadora de satélites de Richard Branson, que deve passar por um processo de abertura de capital após uma fusão reversa com a NextGen Acquisition Corp. II. A nova empresa é avaliada em US$ 3,2 bilhões.

Ainda chamou a atenção a valorização dos ativos da Pfizer. A empresa farmacêutica informou que irá adquirir, por US$ 2,26 bilhões, a Trillium Therapeutics, companhia focada no desenvolvimento de tratamentos para câncer. Os papéis da companhia encerraram as operações desta segunda em alta de 2,48%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *