Bolsas da Ásia fecham mistas antes da decisão de política monetária do BCE

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

09/09/2021

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única, ainda sem um catalisador claro para direcionar as ações, enquanto os investidores aguardam a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que será divulgada nesta quinta-feira (09).

O índice Nikkei, índice de referência da bolsa de Tóquio, fechou em queda de 0,57%, a 30.008,19 pontos, pressionado por perdas nos setores farmacêutico e de tecnologia, em meio a um movimento de realização de lucros após uma sequência de ganhos consecutivos no índice japonês.

O Nikkei acumula ganhos de mais de 3% na semana, apesar das quedas de hoje, recebendo um impulso nos últimos dias das expectativas de que a troca de liderança do Partido Liberal Democrata, que comanda o Parlamento japonês, abra a possibilidade de mais estímulos econômicos no país.

O Kospi, índice de referência da bolsa de Seul, recuou 1,53%, a 3.114,70 pontos, pressionado por sua vez pelos temores em torno do aumento do número de casos de covid-19 na Coreia do Sul, depois que o país ficou acima da marca de 2 mil casos diários pelo segundo dia consecutivo hoje.

Em Hong Kong, o Hang Seng fechou em forte queda de 2,30%, a 25.716,00 pontos. Na China continental, o Xangai Composto subiu 0,49%, a 3.693,12 pontos, e o Shenzhen Composto avançou 0,08%, a 2.492,60 pontos.

As ações das companhias de vídeo games lideraram as perdas em Hong Kong, depois que legisladores chineses ordenaram as gigantes Tencent e a NetEase a aderirem às novas regras da indústria de jogos online no país. A ação da Tencent fechou em queda de 8,48% hoje em Hong Kong, enquanto a da NetEase recuou 11,03%.

Os investidores aguardam a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que será divulgada hoje. Embora a expectativa seja amplamente de que a autoridade monetária mantenha os juros estáveis, os investidores seguem atentos a uma possível redução de compras e à sinalização sobre a postura futura da instituição após a inflação europeia começar a acelerar nos últimos meses.

“Os mercados estão preparados para uma pequena redução das compras do PEPP [Programa de Compras de Emergência para a Pandemia do BCE], mas não para os efeitos de uma comunicação ‘hawkish’ [favorável a aperto monetário]”, diz o ING em nota. “O tom será crucial, assim como as projeções de inflação para 2022 em um contexto de aceleração dos preços”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *