Boi: mercado calmo, com poucos negócios e exportações em alta

Na praça paulista os preços não tiveram variações; no Rio de Janeiro ela avançou

28/12/2021

Boi: mercado calmo, com poucos negócios e exportações em alta Mercado do boi está calmo neste final de ano, com preços firme e exportações começam a crescer (Foto: Agência Brasil)

O mercado do boi abriu a semana praticando preços firmes, mas com poucos negócios, segundo a Scot Consultoria. As escalas de abate estão completas até o final do ano e, com a retração dos compradores, os preços se mantiveram firmes e sem oscilações para as três categorias.

No Rio de Janeiro a indústria está com dificuldade para encontrar bois terminados, ausência de vendedores e escalas de abate curtas, para, no máximo, 3 dias. Com esse cenário, os compradores ofertaram mais R$ 4,00 para as três categorias.

Atacado de carne com osso

A volta das exportações para a China e uma reação da demanda no mercado interno aumentaram a liquidez na produção de carne com osso no atacado, diz a Scot. Com isso, hove um incremento nos preços na comparação semanal.

“A carcaça casada de bovinos castrados subiu 10,7%, ou R$ 2,04 o quilo, cotada em R$21,00 o quilo. Já a carcaça casada de bovinos inteiros ficou precificada em R$19,16 quilo, alta de 10,6%, ou R$1,83 o quilo, nas mesmas condições”.

Exportações ganham força na quarta semana se dezembro

A exportação de carne bovina fresca, refrigerada e congelada voltou a ser intensa, na quarta semana de dezembro, após a volta às compras pela China. A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) informou que até a 4ª semana de dezembro o país embarcou 96,9 mil toneladas. Foram 5,3 mil toneladas por dia na quarta semana.

Mesmo com um bom ritmo, até a quarta semana de dezembro de 2020 tínhamos exportado 142,5 mil toneladas. Os embarques diários deste ano em relação ao passado, tem queda é de 16,85%, quando eram embarcadas 6,4 mil toneladas dia.

Por outro ado, os preços se valorizaram. Uma tonelada de carne está custando US$ 4.890,5 mil, uma alta de 8,53% frente aos preços praticados em dezembro do ano passado. Há 12 meses a tonelada estava a US$ 4.506,1 mil por tonelada.

Apenas na quarta semana de dezembro, o Brasil obteve receita de US$ 474,164 milhões, contra US$ 642.233 milhões em 2020. Entraram, em média, US$ 26.342 milhões, uma queda de 9,76%. O volume exportado fez a diferença.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.