Agricultura aguarda para este mês relatório da inspeção americana em frigoríficos brasileiros

Feita em junho, o relatório pode levantar o embargo norte-americano para a carne in natura produzida pelos frigoríficos inspecionados

23/08/2021

Agricultura aguarda para este mês relatório da inspeção americana em frigoríficos brasileiros Brasil aguarda para final de agosto liberação de frigoríficos interditados pelos Estados Unidos por questões fitossanitárias (Foto: Divulgação)

O governo brasileiro espera que até o final de agosto o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), envie o relatório sobre as condições sanitárias de frigoríficos brasileiros inspecionados por uma delegação americana em junho. O objetivo é levantar embargos impostos à exportação de carne brasileira produzida por essas plantas, segundo o jornal Valor Econômico.

Segundo o jornal especializado em economia, a delegação visitou frigoríficos em “São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul”. Ela também fiscalizou laboratórios da rede pública federal e serviços regionais de inspeção animal. “Estamos esperando o relatório e a nossa esperança é que até fim de agosto eles mandem. Esse mercado foi fechado por culpa do setor e essa foi uma lição doída”, disse a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Os frigoríficos brasileiros inspecionados estão ansiosos pela divulgação do documento. Eles não exportam carne in natura para os Estados Unidos desde 2017. A exportação foi suspensa quando os serviços de inspeção sanitária dos Estados Unidos detectaram “inflamações” em embarques que chegavam do Brasil.

O jornal de economia diz ainda que a ministra Tereza Cristina revelou que técnicos do serviço veterinário do Vietnã estão no Brasil fazendo inspeções desde o início da semana passada e que ficam no país 12 dias. O Vietnã tem a intenção de comprar gado em pé. Mas há a possibilidade de habilitação de frigoríficos para a importação de carne in natura.

Da Redação.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *