A partir de outubro, Rio terá eventos sem máscara e distanciamento para público vacinado

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

23/09/2021

A cidade do Rio de Janeiro deve contar com eventos, a partir de outubro, com pessoas sem obrigação de uso de máscara e de distanciamento social – mas com necessidade de apresentar comprovante de vacinação e de teste negativo para covid-19. As informações foram confirmadas pelo secretário de Saúde da cidade do Rio, Daniel Soranz.

Em entrevista há pouco ao jornal “Bom dia Rio”, da TV Globo, Soranz comentou ser importante frisar que a não obrigatoriedade de máscara e de distanciamento social valeria apenas para público vacinado e negativado para a doença, em eventos controlados.

“É muito importante a gente separar que, sem máscara e sem distanciamento, somente com população totalmente testada. Ainda é obrigatório usar máscara e distanciamento na cidade. Ainda não é o momento de tirar máscara”, ressaltou ele.

De acordo com apuração do jornal televisivo, três eventos na cidade do Rio já foram autorizados, sem obrigatoriedade de uso de máscara e de distanciamento social, a partir de outubro – mas nas condições delineadas pelo secretário, de público vacinado e com teste negativo para covid-19.

  • Leia mais: Ministério da Saúde volta a recomendar vacinação em adolescentes

Em sua fala ao jornal, Soranz admitiu que, com recuo gradativo de internações e de óbitos por covid-19 ante o observado em meses imediatamente anteriores, graças ao avanço da vacinação na capital fluminense, “fica cada vez mais difícil” segurar a população carioca em realizar eventos fora das condições sanitárias adequadas, em meio à pandemia.

  • Leia mais: Movimento Unidos pela Vacina soma R$ 50 mi em doações ao SUS

Ao falar sobre os eventos-teste realizados pela prefeitura do Rio, Soranz comentou que nem todos que foram testados para esses eventos puderam participar – como foi o caso do jogo de futebol no dia 15 de setembro entre Flamengo e Grêmio no estádio do Maracanã, zona norte do Rio. Ele comentou que aproximadamente 1% do público que se examinou para detectar doença, para evento-teste, estava positivo para covid-19.

“‘Tiramos’ 180 pessoas, que foram retiradas do evento”, informou ele. No entendimento do secretário, essa testagem também é importante pois permite que a pessoa interessada em ir ao evento-teste saiba que está com a doença; e, a partir dessa informação, passe a realizar isolamento, para prevenir contaminação de outras pessoas.

No mês de outubro, é esperado que a grande maioria da população adulta carioca esteja vacinada com duas doses de vacina contra covid-19.

No site Painel Rio Covid-19, disponibilizado na internet pela prefeitura do Rio, a gestão municipal da cidade contabiliza um total de 8.964.676 de doses aplicadas na capital. Esses números levam a cenário de 96,5% da população acima de 12 anos na capital fluminense com primeira dose ou dose única; e de 60,2% de população acima de 12 anos com segunda dose ou dose única, de acordo com cálculos da prefeitura. No caso de população acima de 18 anos, os porcentais são respectivamente de 99,8% e de 66%, para cada uma dessas duas delimitações. Os dados são atualizados até as 8h de 23 de setembro.

No Rio de Janeiro, são contabilizadas 17.857.725 de doses aplicadas em todo o Estado, até as 8h12 de 23 de setembro. Os dados constam do “Vacinômetro” disponibilizado em portal na internet pelo governo fluminense.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *