Carne suína: mercado interno e exportações sustentam preços nos primeiros 15 dias de setembro

A informação é da Scot Consultoria que acompanha os preços diários em todas as praças brasileiras

20/09/2021

Carne suína: mercado interno e exportações sustentam preços nos primeiros 15 dias de setembro (Foto: Governo de Minas Gerais)

O mercado de suínos nas duas primeiras semanas de setembro manteve os preços positivos em função da demanda doméstica e do bom momento das exportações, segundo o zootecnista e analista de mercado da Scot Consultoria Felipe Fabbri.

A arroba no mercado paulista foi comercializada em R$ 153,00. Aumento de R$ 20,00 ou 17,4% na segunda semana do mês. Anda assim, em relação ao mesmo período do ano passado, a Consultoria detectou uma queda de 10%.

O Mercado atacadista também registou preços positivos, mas a variação foi mais compassada do que nas granjas de suínos. Na praça paulista, a carcaça está sendo comercializada a R$ 10,30 o quilo, um aumento de 8,4% comprado à primeira semana de setembro. Mais R$ 0,80 o quilo.

Exportações

As exportações também compuseram o bom cenário. Até a segunda quinzena de setembro, o Brasil embarcou 40,8 mil toneladas de carne suína in natura, 5,6 mil toneladas dia, 61,3% maior do que o mesmo período do ano passado.

Os preços também valorizaram 2% e resultou em uma receita de US$ 96,7 milhões de dólares para a carne suína in natura. Na primeira quinzena, portanto, nas exportações e o mercado interno aquecido sustentaram a posição da carne suína.

No entanto, segundo Felipe Fabbri, em sua análise na TV Scot Consultoria o produtor não deve se deixar enganar. Estamos entrando na segunda quinzena do mês quando o mercado interno perde força e, com isso, os preços podem “andar de lado”.

Da Redação.ercado interno e exportações 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *