Fred Almeida

Consultor de Sustentabilidade


Tecnologia Blockchain dá transparência e credibilidade ao agronegócio brasileiro

23/11/2021

Tecnologia Blockchain dá transparência e credibilidade ao agronegócio brasileiro (Foto: Divulgação)

Hoje vamos falar de uma tecnologia que está mudando a administração dos negócios e tornando transparentes e éticas as transações nas cadeias produtivas de todos os segmentos econômicos no mundo, como prestação de serviço, agricultura e indústria de transformação, desde a produção até o consumidor final: a tecnologia Blockchain.

Vivemos num mundo onde milhões de dados percorrem o planeta em segundos numa velocidade imensurável. Esse novo modo de vida está incorporado no cotidiano das pessoas e demandam, necessariamente, uma nova forma de fazer negócios e atender às necessidades de produtores, fornecedores, indústria de transformação, prestadores de serviços e consumidor final, nesse novo momento da história da civilização.

A evolução humana mudou o patamar de exigências e de necessidades para dar respostas aos problemas que vão nascendo com a evolução e os novos meios de produção. Um instrumento para ajudar na mudança é a tecnologia Blockchain, que em tradução livre significa “Cadeia de Blocos”. São pacotes de dados invioláveis interligados em formato de blocos que armazenam todas as informações de um segmento, desde o primeiro passo até o objeto final.

Eles são invioláveis, criptografados e públicos. Os blocos formam uma espécie de corrente na qual os atores daquela cadeia produtiva, cada qual em sua etapa da produção, abastecem o seu “bloco” com os dados da sua atividade. Ao final, elas chegam ao consumidor. A ele, é dado o acesso através de um QR Code.

Blochchain na Agricultura

Um dos setores onde a nova tecnologia faz muito sucesso é no agronegócio. Nesse setor, a tecnologia revela a toda a cadeia produtiva, o percurso do produto do começo ao final de sua produção, até chegar ao consumidor final.

Proporciona com facilidade uma das maiores reivindicações em relação ao agronegócio brasileiro, muitas vezes discriminado por ser eventualmente considerado uma ameaça ao meio ambiente. É uma rede de ponto a ponto de toda a cadeia de produção, que inclui, além de todas as ações realizadas durante o processo, até mesmo os horários e valores nas transações. 

Na agricultura e na pecuária, o Blockchain vai permitir a rastreabilidade de toda a cadeia produtiva, torna-la transparente. e possibilitar que os serviços de fiscalização desde o início do processo produtivo nas propriedades, o cumprimento das exigências ambientais desde a origem (florestas em pé, eliminação de queimadas e cortes de áreas para plantio e gado de extensão), alimentação consumida pelo gado, remédios e vacinas dentro dos prazos determinados por Lei, relações financeiras éticas e corretas entre os segmentos da cadeia produtiva, e todas as informações disponibilizadas ao consumidor final, através de um QR Code.

Na verdade, é uma cadeia de blocos de dados interligados por um código chamado Hash. O Hash interliga os dois blocos para armazenar dados. O primeiro, a ser alimentado pela atividade daquele momento, e o segundo, a um novo bloco que será utilizado pelo próximo da cadeia. Ao produzi-lo ele se transforma em dois idênticos e sem possibilidade de alteração.

O segundo bloco permite que o próximo da cadeia produtiva também crie o seu, o alimente, e, com uma a cópia idêntica o próximo da cadeia faz a mesma coisa, assim por diante, até o final do processo.

Caso haja erro no preenchimento dos dados, ele simplesmente não pode ser corrigido (a não ser que esteja na fase de rascunho). Alimentado, não há mais possibilidade de acesso. É necessário descartar e refazer todo o serviço. Esse avanço amplia as possibilidades para profissões que ainda não existem. Grandes propriedades, com produção vocacionada (agropecuária, por exemplo) terão que ter pessoas para abastecer e analisar os dados de toda a cadeia para promover avanços e correções de rumo. Checar a rede de ponta a ponta do processo e fazer adequações.

É sempre bom lembrar que o acesso à construção e alimentação dos blocos é absolutamente impenetrável. Ninguém, além do produtor, consegue ter acesso. O conteúdo final é disponibilizado para o consumidor final por um QR Code e ele é fechado. O consumidor tem acesso às informações, mas não entra no sistema. Nem ele e ninguém mais. O armazenamento é em uma nuvem de dados e sem acesso.

Os benefícios

Para o produtor ou empresário que está na cadeia produtiva agregando valor, é uma ferramenta que diminui sensivelmente os custos e registra 100% das ações em todas as etapas de produção. Na pecuária, pode-se identificar animal por animal, parecendo, dessa forma, um documento pessoal. Oferece transparência em todo o processo.

Ao consumidor, ela permite que ele tenha segurança nas negociações digitais e consegue rastrear o produto que está comprando em todas as etapas e ver se é isso que ele deseja ou aprova a forma como foi produzido.

Essa tecnologia que devagar toma conta das propriedades da pecuária nacional vai mitigar um dos nossos principais entraves: os consumidores de países desenvolvidos e exigentes, além do próprio mercado interno, cada vez mais bem informado. 

Ele vai saber se o produto é oriundo de área desmatada legal ou ilegalmente, a procedência que vai gerar um selo orgânico ou se a mão de obra utilizada é infantil ou análoga à escravidão. Na verdade, é a transparência que o novo consumidor busca.

Dados

Existe toda uma preocupação em relação à alimentação dos dados. Afinal, e se o produtor ou qualquer empresário de outro ramo mentir ao preencher os blocos? Ele vai ser flagrado pelos outros elos da corrente. Um dado incorreto num bloco, prejudica o próximo da cadeia e toda ela reage.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *