João Menezes

Engenheiro Agrônomo, assistente agropecuário e facilitador do GTEPS (Grupo de Troca de Experiências em Pecuária Sustentável).


Mais arrobas utilizando milheto

16/03/2022

Mais arrobas utilizando milheto Milheto é uma opção para o pecuarista produzir e pode ser consorciada com gramíneas (Foto: Embrapa)

Milheto é uma alternativa para reforma de pastagem, tanto para produção de silagem, plantada em linhas ou semeada a lanço para pastejo exclusivo, ou consorciado com outras gramíneas a serem estabelecidas. É planta de bom valor nutritivo, rebrota vigorosa e elevada produtividade. O milheto é adaptado às áreas tropicais caracterizadas por estação de crescimento com altas temperaturas, baixa precipitação e solos rasos ou arenosos.

O milheto é uma forrageira de clima tropical, anual, de hábito ereto, porte alto, com desenvolvimento uniforme, bom perfilhamento e produção de sementes entre 500 quilos/hectare e 1.500 quilos/hectare. Apresenta excelente valor nutritivo (até 24% de proteína bruta quando em pastejo), boa palatabilidade e digestibilidade (60% a 78%) em pastejo, sendo atóxica aos animais em qualquer estágio vegetativo. Quanto ao potencial produtivo de forragem, pode alcançar até 60 toneladas de massa verde e 20 toneladas de matéria seca por hectare, quando cultivado no início da primavera. Quando utilizado sob pastejo, com animais de recria, pode proporcionar ganhos de até 600 quilos/hectare de peso vivo, ou 20 arrobas/hectare de carne em 150 dias de pastejo, equivalente a ganhos médios diários de 950 gramas/animal, com 4,2 animais/hectare (Kichel e Miranda, 2000).

Ele pode ser utilizado para produção de silagem em áreas onde serão reformadas as pastagens, principalmente em regiões com problemas de veranico ou seca. Planta-se o milheto adubado em linhas e o capim a lanço por toda a área. Quando o milheto está no ponto de corte, na fase de grão duro, se corta para ensilagem eliminando a competição com a forrageira e permitindo o estabelecimento da pastagem (Tabela 1).


*Tabela 1 – Produção e qualidade de espécies forrageiras para produção de silagem na 2ª safra (plantio a partir de fevereiro), (Kichel e Miranda, 2000)*.

O milheto também pode ser estabelecido para pastejo em áreas de reforma, tanto de forma exclusiva, como consorciado com a forrageira a ser estabelecida. Com milheto, a utilização da pastagem é mais rápida, com 30 a 40 dias após a germinação, o pasto já pode ser utilizado. É uma planta que apresenta bom valor nutritivo e produtividade, permitindo boas taxas de lotação e ganhos de peso (Tabela 2). O primeiro pastejo deve ocorrer sempre antes do início do emborrachamento, visando estimular o perfilhamento.
*Tabela 2 – Produção e qualidade de espécies forrageiras para pastejo, (Kichel e Miranda, 2000)*.

O milheto é uma planta alternativa que pode ser usada em reforma de pastagens tanto para produção de silagem como pastejo exclusivo ou consorciado com forrageiras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.