João Menezes

Engenheiro Agrônomo, assistente agropecuário e facilitador do GTEPS (Grupo de Troca de Experiências em Pecuária Sustentável).


Mais arrobas com o uso de DDG na alimentação de bovinos

01/04/2022

Mais arrobas com o uso de DDG na alimentação de bovinos Mercado: preços permaneceram estáveis em SP. (Foto: Divulgação)

Um dos coprodutos que podem ser usados na suplementação de bovinos é o DDG ou WDG quando úmido, subproduto da produção de etanol do milho. É um alimento que pode fornecer energia e proteína para os animais a preços competitivos. Existem muitos trabalhos com a substituição do milho grão da dieta pelos grãos de destilaria e o desempenho dos animais melhora, ou seja, o valor alimentar deste último seria superior, portanto, mostram a viabilidade desse alimento.

Para cada 1000 litros de etanol de milho produzido, são gerados 950 kg de DDG. Só em 2019, foram produzidos 1,4 bilhões de litros de etanol de milho, isso é cerca de 5% de toda a produção de álcool do Brasil! Isso significa a produção de 1,33 milhões de toneladas de grão destilado seco tornando esse produto disponível para alimentação para bovinos confinados e em pastagens.

Aqueles produtores que estão próximos as indústrias podem usar o material úmido (WDG), porém quem está a maiores distâncias tem que usar o material seco (DDG). É um produto de excelente digestibilidade, rico em energia (NDT >80%) proteína (PB>28-30%), fibra (FDN>28%) e gordura (>10%).

Alguns cuidados devem ser tomados, pois apresenta baixa degradabilidade da proteína ruminal e tornando necessário o ajuste da proteína degradável no rúmen, bem como não usar níveis muito elevado na dieta quando o teor de enxofre for muito alto, limitando a no máximo 50% da matéria seca da dieta.

O coproduto apresenta ser uma boa alternativa para substituir parte do milho na dieta diminuindo o amido da dieta e em alguns caso melhorar o desempenho dos animais (Tabela 1). Ele pode ser usado na dieta substituindo além do milho, o farelo e parte do caroço de algodão.


Tabela 1 – Desempenho de bovinos substituindo milho por DDG (Moraes, citado por Portela, comunicação pessoal).

Importante no uso do DDG é que se conheça as particularidades do produto e o processamento usado pela empresa fornecedora. Há variação na composição e devem ser levadas em consideração na formulação da dieta.

O produto tem boa aceitação pelos animais e o consumo de matéria seca pode aumentar, melhorando o desempenho, porém a questão econômica deve sempre ser levada em consideração, como preço do milho, farelos e o frete envolvido, bem como a garantia de fornecimento contínuo pelo fornecedor.

O coproduto grão de milho de destilaria (DDG) se apresenta como uma excelente alternativa para alimentação de bovinos e deve ser considera o seu usa nas dietas de animais em pastagens ou confinados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.