Fabiano Reis

Jornalista, mestre em Produção e Gestão Agroindustrial


Arroba deve quebrar recorde de alta até 10 de dezembro

30/11/2021

Arroba deve quebrar recorde de alta até 10 de dezembro O articulista e jornalista especializado Fabiano Reis acredita que a arroba do boi vai se valorizar até 10 de dezembro (Foto: Pixabay)

Estamos de fato em outro patamar. O mercado respondeu e a arroba disparou em todas as praças produtoras, como alertado nesta coluna há mais de um mês. Os valores estão acima de R$ 300 por arroba nos estados, picos na casa de R$ 330,00. Há também a Rússia que voltou a habilitar plantas frigoríficas brasileiras (carnes bovina e suína) e, claro, a China, que liberou a entrada de carne bovina brasileira certificada antes da data de 3 de setembro.

Primeiramente, faço a mea-culpa. Realmente apostava no retorno da China às compras de carne bovina nos 20 primeiros dias de novembro. Aceitar a carne já embarcada é um passo importante e mostra que está próximo. Por outro lado e mesmo sem a China, a retomada nos preços praticados para o boi gordo, a remuneração para o pecuarista, veio no tempo estimado.

Estilhaçada. Desta forma se encontra a escala da indústria frigorífica do Brasil. A oferta ficou muito reduzida e como era de se esperar, arroba em elevação. Todavia, há uma realidade interessante nos campos brasileiros. Os efeitos das chuvas intensas no Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Há disponibilidade de pastagens, evidentemente, ficou melhor a oferta de forragens e as precipitações seguiram durante este mês de novembro o que é muito positivo, para efeito de gestão e mantença de rebanhos. O Sul do Brasil vive um momento mais complicado, com escassez de chuvas em novembro, efeito do La Niña na região, que pode perdurar até o final do verão e afetar pastos e culturas, com a da milho, no momento.

Em resumo, para ter gado pronto é necessário pagar bem mais. A atividade industrial demanda a matéria-prima e isso não deve se alterar. O preço subiu e não apenas na remuneração pelo animal vivo, o mercado atacadista de carne bovina também apresenta alta. Por outro lado, a remuneração do consumidor brasileiro não mudou, mas, de modo geral, ele vai ter mais dinheiro disponível para uso com as parcelas do 13º salário já a partir desta terça-feira, dia 30/11.

Voltando para o fator arroba do boi gordo, destaco os valores em Mato Grosso do Sul com média para pagamento à vista em R$ 305 por arroba e a prazo em R$ 308. Entretanto, boiadas negociadas em R$ 315 a arroba, foram negociadas. Em Mato Grosso o boi está em torno de R$ 300 a arroba, variações regionais dentro do estado com alta de preços. Já na praça de referência, São Paulo, os preços à vista para arroba têm média de R$ 311, no prazo entre R$ 315 e R$ 320 e boiadas de até R$ 330 por arroba. Nada mal.

Na terça-feira da última semana a Rússia confirmou a retomada da importação de carne de 12 frigoríficos brasileiros, nove de carne suína e três de bovina. Desde 2017 há restrição do governo russo aos produtos brasileiros. O chefe do serviço do país importador prometeu uma visita no 1º trimestre de 2022 para inspecionar plantas frigoríficas com interesse em exportar para a Rússia.

Além disso, o governo russo também vai abrir uma cota de 300 mil toneladas de carne sendo 200 mil de carne bovina e 100 mil de carne suína com tarifa zero de importação por seis meses que poderia ser utilizada pelo Brasil. Muito bom.

Para encerrar, o mercado segue em elevação e as negociações dos pecuaristas precisam ser a conta-gotas, pequenos volumes, aproveitar cada janela de alta. O mercado segue apontando para cima então é hora de recuperar parte da “rentabilidade frustrada” no impacto inicial do elemento “China”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.