João Menezes

Engenheiro Agrônomo, assistente agropecuário e facilitador do GTEPS (Grupo de Troca de Experiências em Pecuária Sustentável).


Mais arrobas até a desmama – creep feeding

24/11/2021

Mais arrobas até a desmama – creep feeding O engenheiro agrônomo João Menezes fala de um método de desmama (Foto: Divulgação)

A produção de bezerros (as) mais pesados (as) à desmama pode ser melhorada com a suplementação dos animais durante o aleitamento, o creep feeding. Quando se usa o creep feeding, além de desmamar bezerros (as) mais pesados (as), se consegue melhorar o escore das vacas e inclusive favorecê-las na próxima estação de monta. O consumo de concentrado por esse tipo de animal é pequeno, porém esta alimentação deve ser fornecida em cochos próprios com acesso somente pelos animais desejados. Um cuidado que se deve ter, é que esses animais deverão continuar sendo bem alimentados pós desmama, pois, sua exigência de mantença aumenta e uma dieta qualidade inferior pode prejudicá-los.

A melhor forma de produzir bezerros pesados à desmama é a seleção de animais melhorados para peso à desmama, bem como a escolha de fêmeas com habilidade maternal, mas para que esses animais manifestem seu potencial genético e aumentar o peso deles ainda durante o aleitamento, uma boa estratégia é o uso de creep feeding, suplementação dos bezerros (as) ainda quando estão com as mães.

A suplementação com concentrado para bezerros lactentes mantidos em pastagens, no início da seca, mostrou ser uma técnica que beneficia não só o desempenho desses animais, mas também das matrizes (Tabela 1). O melhor suplemento nessas condições foi com concentrado energético-proteico, pois houve melhora na ingestão e no aproveitamento dos nutrientes, no desempenho dos bezerros (Sampaio et al., 2010).

A relação benefício custo de alimentar nessa fase é muito boa porque são animais jovens que têm consumo pequeno de concentrado. É fornecido entre 0,5-1 kg por dia, mas na média durante todo o período de aleitamento, o consumo médio será em torno de 500 g por dia, pois a ingestão só aumenta a partir do 3-4 mês. Como o animal é muito eficiente nesta fase, ele responde muito bem essa alimentação e poderá desmamar até uma @ mais pesado.

É importante que os cochos de suplementação dos bezerros sejam próximos aos usados pelas vacas e que permitam acesso somente deles. Existem vários modelos usados pelos produtores, a maioria feitos na própria propriedade, porém já existem instalações prontas que são vendidas por empresas especializadas.

Um cuidado que se deve ter com esses animais que recebem creep é que serão animais que vão desmamar mais pesados com uma condição corporal melhor e, portanto, têm uma exigência de mantença mais elevada na fase seguinte à desmama e se esse animal for colocado em pastagens com pouca oferta de forragem ou valor nutritivo inadequado e não existir uma estratégia de suplementação na seca, todo o ganho com alimentação de creep pode ser perdido. É importante que o animal que recebe suplementação durante o aleitamento tenha uma continuidade de boa dieta para aproveitar o crescimento contínuo e explorar sua precocidade.

A suplementação de bezerros (as) durante o aleitamento eleva pouco os custos, desmama animais mais pesados, melhora o escore das vacas e, portanto, é uma estratégia interessante de elevar a produtividade da pecuária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *